domingo, 22 de junho de 2008

O seu sanfoneiro hoje eu quero ver, a sanfona tocar

Quando morava no Rio, não ia muito a festas juninas, mas depois de vir pra BH, a coisa mudou de figura... todo ano são várias e ótimas festas. No sábado fui à primeira desse ano, a festa de São João (Batista), daquelas bem tradicionais.

Noite fria, lua cheia, fogueira, broa de milho, biscoito de polvilho, quentão, café, leite caramelado (essa delícia eu ainda não conhecia), pinga e muitos outros quitutes típicos da roça.

Antes da quadrilha teve a hora da reza, onde as velhas senhoras, convidam os presentes a se reunir em torno do altar com a imagem de São João.

Rezamos um terço, alternando a ladainha e o refrão entre todos.


Pedimos proteção a todos os presentes, aos que já se foram e principalmente agradecemos aquele momento.

Foi de emocionar, tanto os mais novos quanto os mais velhos, e eu especialmente por pouco conhecer desses ritos, aliás não vou muito além da Ave Maria e Pai Nosso.

Ao fim da reza, saudamos São João com fogos coloridos e bombinhas típicas dessa época.

Mais pra frente um pouquinho, foi a hora do casamento na roça, com o Padre Rafael a improvisar uma cerimônia sem pé nem cabeça e tio Juca "o padrinho da noiva" a atentar os noivos, o padre e todos os convidados da festa. Ahhh o pai da noiva (grávida) ainda puxou uma peixeira prá "agarantir a mode o noivo num fugi".

Prá finalizar tivemos ainda uma quadrilha, com direito a "corôa de espinhos", rodopios, "olha a cobra!" e o tradicional túnel, tudo pertinho de uma bela fogueira em noite marejada de estrelas.

Noite boa, gente amiga e de bem com a vida, muito boa essa festa, não esquecerei dela tão cedo.

E ano que vem, tomo coragem e vou dançar nessa quadrilha "túmem".

Powered by ScribeFire.

7 comentários:

Patty disse...

Engraçado que quando eu era adolescente eu achava a maior pagação de mico dançar quadrilha na escola...hahaha

Agora, depois de "véia" acho o maior barato e vejo quanta festa eu perdi. Ainda bem que deu tempo pra rever esse conceito.

Adoro uma festa dessas e os quitutes??? Meninoooooo, não há regime que resista.

Querido, obrigada pela gentil visita viu? Um beijo e uma ótima semana!

Paula Basques disse...

Evandro, vou te dizer o seguinte: eu simplesmente A-DO-RO festa junina. Amo, de paixão! Já fui rainha da pipoca (um dia desses descrevo meus trajes quando fui a estrela da festa)!

Ah, quando tiver uma festa assim, me chama, que eu vou! E danço quadrilha tumém!

beijos

Mari disse...

Oi,amigo

Ah,nem me fale..aqui no Rio não tem quase festa junina...e eu amo tudo isso que vc descreveu,principalmente as guloseimas...

Ah,quadrilha é muito bom.Só dancei na escola mesmo..que saudades me deu!!

beijo

Aline disse...

Oi,amigo

Puxa,guarda um pedaço de bolo de aipim pra mim???Adoooooro!
e amo dançar ao som de sanfona...aqui não tem nada disso...snif!!

Bjs

Lomyne disse...

Ah, eu acho festa junina uma delícia! No Rio, eu ia à muitas em Jacarepaguá, que ainda parece uma cidade à parte na loucura do Rio...

Clau disse...

Ah...adoro!é a única festa genuinamente brasileira que guardou as características regionais..

Este ano ainda não fui em nenhuma!

Bjs

Pedro_the_Mexican_Jedi disse...

Ja eu que moro no EUA, onde o equivalente de uma festa junina e convocar um monte de rednecks com um banjo e umas caixas de cerveja barata, nao sempre tenho essa opurtunidade de assistir essas festas. Para dizer a verdade, as festas juninas de Sao Paulo tambem sao vazias e um pouco burras comparadas a as festas juninas mineiras.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails