quarta-feira, 10 de junho de 2009

Valores essenciais

Recentemente fui à Bahia fazer um curso sobre uma terapia chamada Frequências de Brilho, (uma hora dessas falo um pouco sobre isso por aqui), mas por enquanto queria lembrar de algo especial que aprendi com Dr. Léo, um médico porreta, muito amistoso e com uma rara sensibilidade para as coisas que afetam o ser humano.

O que aprendi, é o tanto de tempo que a gente perde com coisas que não tem a menor importância, em especial com os defeitos das pessoas que amamos, nos nossos relacionamentos, com amigos, em casa, no trabalho e na família.

Isso pode parecer meio óbvio e banal, mas acontece que as bobagens, os pequenos desgastes, as irritações e os pequenos egoísmos do dia-a-dia acabam ocupando um espaço na nossa vida muito maior do que deveriam.

Com o passar do tempo vamos nos acostumamos com esse piloto automático que é gastar energia com coisas que não merecem atenção, que nos surpreendemos em chegar ao fim do dia estressados, exaustos e com dor de cabeça.

Mas será que há algo a fazer?

A lição é velha e está sendo sempre repetida por aí:

Depende apenas da gente dar a essas questões o peso e a atenção que elas merecem.

Só tem um senão: ninguém pode fazer isso por nós.

No fundo, a gente deveria se relacionar com os outros sempre pelos valores essenciais, ou seja pelo que elas tem de valor, pelas boas qualidades, pelos prazeres, pelas alegrias vividas juntas, deixando os defeitos em segundo plano.

Se a gente é capaz de fazer isso o tempo todo com coisas, (você já percebeu quantas vezes comprou um CD por conta de uma ou duas músicas boas), por que haveria de ser diferente com as pessoas e relacionamentos?

Acho que o clássico exemplo da pasta de dentes se aplica: se sua esposa tem o hábito de deixar a pasta de dente aberta, e isso te irrita tanto todo dia, vai chegar uma hora que você vai se encher, brigar ficar estressado ficar mau-humorado etc, etc.

Adianta?

Tá aí uma tremenda inversão, por que é que você vai se aporrinhar com o tubo de pasta de dentes, se tem milhares de outras coisas boas, que superam isso com muita vantagem?

Enfim, eu sei que não é fácil mudar o comportamento alheio e muito menos o nosso diante da vida e das pessoas, mas se ao menos der pra dar uma paradinha e conseguir observar que normalmente há mais coisas boas e de valor nos outros do que ruins, eu tenho certeza que o mundo vai parecer melhor.

Ah, eu não podia esquecer de desejar prás meninas e meninos que passarem por aqui, um feliz dia dos namorados!!!


7 comentários:

MR disse...

Nem me fale de pasta de dentes. Quantas vezes nao ouvia gritos por pasta de dentes caida na pia? Azar que quem perdeu este tremendo partido, cara honesto, bonito, trabalhador, dedicado e carinhoso, e que da conta do recado (auto-propaganda enganosa).

Bom, para terminar o papo do AF 447:


"E nao eh que esta provado que quando a hora derradeira chega, nao tem muito como fugir? Veja o caso da mulher que perdeu o voo 447:
Uma italiana que perdeu o vôo 447 da Air France, que desapareceu no oceano Atlântico no dia 1º de junho, morreu em um acidente de carro na Áustria. Johanna Ganthaler, uma pensionista da província Bolzano Bozen, passou férias no Brasil e, junto com seu marido, não conseguir embarcar no avião após chegar atrasada no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro. As informações são do jornal britânico The Times.

Ganthaler e seu marido, Kurt, embarcaram de volta à Europa no dia seguinte, segundo informações da Ansa citadas pela publicação.

Não há informações sobre a causa do acidente, nem o horário exato. Segundo o jornal da Grã-Bretanha, o carro em que os dois estavam entrou na pista contrária de uma rodovia em Kufstein, na Áustria, e bateu de frente em um caminhão. Kurt ficou seriamente ferido no acidente, informou o The Times."

Luis Bento disse...

Fazia tempo que eu não passava aqui...deliciar-me com o humor de algumas his´torias e o humanismo de outras. Coisas com nexo...

paula barros disse...

E de blog em blog cheguei aqui, dá licença?


Um texto muito bom para refletirmos nossas atitudes. Fiquei curiosa com relação a terapia.

bom domingo!

Jou Jou Balangandã disse...

Bravo!
Pq muitas vezes guardamos o nosso dark side pras pessoas que amamos e que nos rodeiam?

Dedinhos Nervosos disse...

É... dependendo do dia, me rasgo em 20 por conta de uma coisa fora do lugar, quando tantas outras estão totalmente nos eixos... mas acho que exercitar esse modo de pensar acaba virando 1 hábito.
Boa! Beijos!

Anônimo disse...

Easily I to but I think the brief should acquire more info then it has.

Naoami Lowise disse...

O que vc escreveu é a mais pura verdade, como diz meu namorado: se a gente se gosta, quer a mesma coisa pra que brigar!

O melhor e nunca brigar por besteira, sem brigas o namoro/ casamento pode ser uma maravilha!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails