domingo, 11 de maio de 2008

A Natureza do Escorpião


Um mestre do Oriente viu quando um escorpião estava se afogando e decidiu tirá-lo da água, mas quando o fez, o escorpião o picou...

Pela reação de dor, o mestre o soltou e o animal caiu de novo na água e estava se afogando.

O mestre tentou tirá-lo novamente e outra vez o animal o picou.

Alguém que estava observando se aproximou do mestre e lhe disse:

- Desculpe-me mas você é teimoso! Não entende que todas as vezes que tentar tirá-lo da água ele irá picá-lo?

O mestre respondeu:
- A natureza do escorpião é picar, e isto não vai mudar a minha, que é ajudar.

Então, com a ajuda de uma folha, o mestre tirou o escorpião da água e salvou sua vida, e continuou:

- Não mude sua natureza se alguém te faz algum mal; apenas tome precauções.

- Alguns perseguem a felicidade, outros a criam.

- Preocupe-se mais com sua consciência do que com sua reputação.

- Porque sua consciência é o que você é, e sua reputação é o que os outros
pensam de você.

- E o que os outros pensam, é problema deles.

2 comentários:

Cláudia Gonçalves disse...

Perfeito!!!!!!!!!!!
Amei esse texto e o blog tambem. Temos mesmo a mania de desistir de fazer o que é certo... precisamos parar com isso. Adorei a visita ao meu cantinho, volte sempre que quiser e puder!!. Bjo, Claudia

Rittner M. disse...

Vavá, tenho um texto prá você sobre sua reputação, desapego, e perseguir relacionamentos.

"... quero falar um pouco sobre um tipo muito específico (e recorrente) de relacionamento: O relacionamento que não faz bem.
... uma amiga estava me contanto sobre uma amizade muito antiga dela, que de uma forma muito estranha se acabou sem nem deixar vestígios. Como se o prazo de validade tivesse vencido.

Ela e a tal amiga antiga realmente viveram uma amizade profunda, onde uma realmente fazia parte da vida da outra. Elas estavam juntas em momentos importantíssimos de suas vidas, em viagens inesquecíveis, festas, na escola desde o ginásio até o cursinho pré-vestibular.

Foram anos e anos de convivência... algumas mancadas, muitos perdões.

Até que um dia uma delas começou a se tocar sobre a tal "data de validade" daquela amizade. Começou a perceber que aquele relacionamento já não fazia bem pra ela.... que as coisas não eram mais como antes, que as motivações já não eram mais as mesmas, os amigos em comum já não eram mais amigos em comum.

De repente percebeu que na verdade ela sempre havia vivido na sombra da tal melhor amiga. Que aquela amizade anulava sua própria personalidade, ofuscada (propositalmente) pela amiga mais popular.

Cansou... e um belo dia colocou um ponto final na história de anos.

Hoje, se elas se cruzarem na ruas, agem como se fossem perfeitas estranhas. Não se conhecem e nem se reconhecem mais, e uma já não faz mais parte da vida da outra.

Você pode achar um pouco trágica esta história, mas é mais comum do que parece.
a autora do texto fala depois para identificar a "data de validade" de um relacionamento. "Tenho por mim que enquanto eu puder oferecer algo, fazer algum bem pra pessoa com a qual estou me relacionando, e ela também pra mim, vale a pena continuar. De outra forma, é melhor deixar cada um seguir seu caminho.

Conheço algumas pessoas que não admitem isso. Até mesmo por uma questão de orgulho, preferem gastar todas as energias tentando manter algo que já não faz o menor sentido. Seja uma amizade antiga que expirou, e que já nos impede de crescer como indivíduos, ou até mesmo um namoro que não "anda" mais... não sai do lugar.

Pode parecer meio "prático demais" abrir mão de relacionamentos que fizeram parte de nossa vida. Alguns tem mais dificuldade de colocar estes pontos finais... e confesso que apesar deste aparente senso de praticidade que demonstro ter, também tenho algumas coisas sem ponto final. Só que não estou conformado com elas... e quero resolver (não sei como e nem quando) meus relacionamentos mal-resolvidos!

Acho que colocar um ponto final num relacionamento não é o mesmo que colocar um ponto final em uma pessoa, e parece que é aí que algumas pessoas se confundem...

É como aquele tipo de gente que guarda tudo... comprovantes de saque de caixa-eletrônico de 10 anos atrás... e simplesmente não conseguem se desfazer dessas coisas inúteis.

Um relacionamento que faz mal, pra mim, no mínimo é isso: Inútil.

Dizer adeus, às vezes, é uma questão de inteligência e amor próprio. Então... se o prazo de validade expirou... diga adeus, liberte e liberte-se! " Ritão

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails