segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Acomodação Sensorial x Acomodação Moral


 

Em tempos de mensalões, impunidade generalizada, torpezas de toda
ordem, pilantragens de toda categoria, só resta nos sentirmos impotentes,inertes ou amortecidos.

Será isso também fruto da chamada acomodação sensorial?

A acomodação sensorial é uma artimanha do nosso cérebro para não gastar energia desnecessariamente. 

Assuntos e estímulos excessivamente repetitivos ou sem importância, são entendidos como desnecessários pelo cérebro naquele momento e então passam a ser ignorados.

Alguns exemplos diários: 

Cheiros: - Percebemos com muita intensidade quando alguém com um perfume excessivamente forte entra na sala. Passados alguns instantes o cheiro parece desaparecer. Na verdade o cheiro continua lá, o que ocorre é que o cérebro se "acomoda" aquele estímulo e deixa de percebê-lo. Já se perguntou porque não percebe o seu próprio cheiro?

Visão: Jogo dos sete erros, ao prestar muita atenção na primeira vez que olhamos as figuras rapidamente encontramos os primeiros erros, entretanto passados alguns instantes, o cérebro acomodado, passa a ter de lutar para encontrar os últimos erros.

Som: Experimente entrar numa sala de educação infantil, crianças, brincando, falando alto numa balbúrdia sem fim, a professora, entretanto, parece não se incomodar com isso. Uma música lhe parece ruim na primeira vez que ouve, mas ao ouví-la uma segunda ou terceira vez ela nos parece muito melhor - acomodação sensorial de novo.

Calor/Frio: Pessoas que moram em países frios sentem menos frio e em países quentes menos calor?

É que a repetição de um determinado estímulo num feixe nervoso com o passar do tempo, acaba por inibir ou atenuar a capacidade inicial de gerar uma resposta sensorial mais efetiva, dessa forma a consequência é uma queda da qualidade da percepção como as exemplificadas acima. 

O estranho é que esse fenômeno parece não afetar somente aos orgãos sensoriais, mas de certa forma, parece que também está afetando as questões comportamentais, sociais e éticas da nossa raça.

Pela repetição, o errado, o mau, o injusto vão  amortecendo e anulando a nossa percepção.

Se não vejamos, como poderíamos nos conformar com a série de crimes absurdos, corrupção e outras mazelas que somos bombardeados diariamente nos noticiários. Porque não reagimos?

Já  acostumados com isso ou serão esses os nossos (novos) valores? 

Talvez os nossos circuitos de controle moral e ético, sobrecarregados pela repetição tenham se acomodado ao "status quo", e tudo passou a ser considerado normal ou sem solução. 

Mas se há solução para o fenômeno biológico da acomodação sensorial, por exemplo, mudando a natureza ou intensidade do estímulo: o tipo de cheiro, o volume do som, a intensidade do frio, há que se encontrar também o meio de despertar nossa sociedade dessa acomodação moral.

Doses massivas de educação, menos impunidade, melhores exemplos de quem está no poder, sejam um ótimo começo, e, ao retroalimentarmos nossos circuitos morais, despertemos desse torpor que nos aflige.
 
Em tempo,estamos no decorrer do julgamento do Mensalão pelo STF, seria ótima oportunidade de mostrar que não estamos amortecidos como parece, faço votos e intenções que esse julgamento seja exemplar e nos ajude a despertar desse estado de letargia.

Uma boa recomendação para não se acomodar moral e sensorialmente é o ótimo podcast do Luciano Pires - Café Brasil - www.portalcafebrasil.com.br


2 comentários:

MR disse...

Acho que ficar atento e sempre processando com o cérebro, os fatos que vamos observando, isso nos faz acumular e não acomodar-se. Um dia o copo transborda. Pode ser a gota d'água, cantou Chico Buarque.

evandro varella disse...

É o que espero. Que um dia transborde.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails