sábado, 25 de abril de 2009

Sinfônica ou Filarmônica ?




 


Felizmente parece que temos um renascimento do gosto pela música clássica no Brasil, nada contra os demais estilos populares muito pelo contrário... é que acho que para literatura, música ou artes em geral sempre há espaço para variedade de gostos e estilos.

Mais recentemente tenho percebido que vira e mexe vemos o assunto das Orquestras na mídia, um exemplo é a volta do simpático e talentoso Maestro Isaac Karabtchevsky, que ficou bem conhecido lá nos tempos do projeto Aquarius na década de 70.

Mas deixando o saudosismo de lado, sempre fui curioso a respeito da diferença entre as Orquestras Sinfônicas e as Filarmônicas.

Pois bem, como tudo hoje em dia está lá no grande irmão google, lá fui eu consultá-lo.

Pelo que entendi há duas explicações e ambas mencionam que do ponto de vista de formação, quantidade de músicos, tipos de instrumentos e peças executadas não há a menor diferença entre as duas.

Mas há uma diferencinha sutil, numa das explicações a diferença reside na forma pela qual a Orquestra é mantida (financiada). Enquanto as Orquestras Sinfônicas, em geral são mantidas por entidades governamentais sejam elas estaduais, municipais ou federais, por exemplo OSESP , as Orquestras Filarmônicas, são via de regra, mantidas por entidades independentes ou privadas que podem ser fundações, institutos etc, naturalmente cada um dos modelos tem suas vantagens e desvantagens, mas sou eu para me meter nesse assunto.

A segunda explicação, que achei é interessante também, mas creio que bem menos plausível atualmente, segundo ela, a diferença está na forma de remuneração dos músicos, ou seja se nas Sinfônicas os músicos são contratados e recebem uma remuneração pelo seu trabalho, nas Filarmônicas, os músicos se associam por amor a arte, daí talvez a origem do "Fila".

É claro que no Brasil ainda estamos na fase das Sinfônicas, pois como sabemos, obter interesse e recursos privados para manter uma Orquestra Filarmônica não deve ser muito fácil, mas há uma exceção muito bem vinda é a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, que recentemente passou a pertencer a uma Fundação sem tanta influência política.






Fontes:


http://mundoestranho.abril.com.br/cultura/pergunta_287171.shtml



http://forum.cifraclub.terra.com.br/forum/13/84104/





6 comentários:

Srta Diazepan disse...

entrei na medicina estudando com música clássica... perfeito!

beijo e bom fim de semana pra vc

Luciana disse...

Legal saber essas diferenças. Ainda mais nesse caso, que se trata de uma diferença tão sutil, como você mesmo disse.

De toda forma, gosto das duas orquestras! rs

Beijos!

Dedinhos Nervosos disse...

Nunca fui a um concerto, nem conheço muito a música clássica, mas vontade é que não falta. Achei legal saber das diferenças. Evandro também é cultura! ;o)
Beijos!

EXAGERADO disse...

Fala,Vavá

Cara,que interessante.Sempre ouvi os termos,mas achava que a diferença estivesse na espécie de instrumentos,números de integrantes,sei lá...bom saber ,apesar de não curtir muiro a música clássica..eu disse "curtir" e não valorizar...

abraço

Ric disse...

Gosto de música clássica, tanto faz se é filarmônica ou sinfônica. O importante é que a música seja boa.

Abraço.

Maldita Futebol Clube disse...

interessante saber sobre essas paradas, até porque nunca saquei nada disso, mesmo tendo um tio maestro: o regente Roberto ricardo Duarte, da UFF pode pesquisar por aí que é fera! seu blog tá show e devidamente lincado Evandro, aparece por lá! abs,leandro

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails