domingo, 16 de novembro de 2008

Yin & Yang

Na vida tudo é sim ou não? Será que já não acostumamos demais com essa sentença imutável?
 

O "isso dá prá fazer" foi até o mote de recente campanha política aqui em BH. E reflete o desejo moderno e digital do sim ou do não. 
Quer dizer que as coisas são assim: Dá prá fazer, não dá pra fazer, isso pode, isso não pode.
O certo, o errado, a verdade a mentira, o bom o ruim, o bem o mal, o capitalismo o socialismo, o Cristianismo o Islamismo, a saúde a doença, a guerra e a paz.

Será que a tecnologia do computador está nos digitalizando também?
 

Mas a vida não se resume apenas a isso.
Há escolhas intermediárias. Não, não é preciso sempre escolher, decidir ou acreditar entre um ou outro extremo.

Assim como ninguém está totalmente saudável nem totalmente doente, nem é totalmente ignorante nem culto, a maioria das escolhas e decisões passa por processos intermediários.

Mas não nos damos conta disso e geralmente preferimos escolher entre um estado e outro. É mais fácil.

A conseqüência dessa simplificação é a superficialidade. O ter ou não ter substituindo o equilíbrio de simplesmente ser.

Acho que precisamos olhar com mais sabedoria e menos arrogância para esse mundo que nos cerca, aceitando as infinitas possibilidades que existem entre o zero e o um.


15 comentários:

Paula disse...

Concordo com vc! Não precisamos de forma alguma sermos ou 8 ou 80. Equilíbrio em tudo acho difícil, mas vale a pena tentar, não é?

beijos

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Se há tanta coisa entre céu e terra, tantos mistérios, tanta vida, então por que encurtamos o que pode haver entre um polo e outro? Entre um "sim" e um "não"?

Concordo com a opinião. Afinal, a vida simples faz toda a diferença (ao menos pra mim), e isto sem precisar ser simplista ou, como disse, superficial.

Abraço!

...

BANDEIRAS disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BANDEIRAS disse...

Querido amigo,

Me confunde a cabeça as infinitas possibilidades entre o zero e o um, mas também fascina...
Obrigado pelo voto.
bjs

Lê... disse...

Oi Vavá!
Pois é...o inicio desse mal é antigo,e perdura desde que teimaram em nos dividir em corpo e mente,razão e emoção...
Ser ou não ser,isso ou aquilo,ahh,comigo não funciona assim,alias eu não sou,'eu estou',e assim me sinto livre pra ir de 0 a 10 sem culpas,sem medo...rs
Excelente post,Vavá!

boa semana,beijo.

Lilian Devlin disse...

Humm, acho que você precisa (eu também!) começar a frequentar templos budistas... E com isso, aprender a trilhar o "Caminho do Meio".
Tô gostando de ver esse seu lado fluir. Para quem há alguns anos, quando eu fiz aquela pós graduação maluca em "Valores Humanos", se dizia totalmente cartesiano, a mudança está sendo fenomenal! rs
E um viva para as "frequências de brilho"( que vc de uma outra vez, poderia falar sobre, inclusive para ninguém achar que esse "brilho" seja aquela outra "coisa" nefasta...rsrs)
Bjs!

Leo disse...

É isso aí Vavá...

O EQUILÍBRIO ESTÁ NO MEIO !

BRUNO LEONARDO disse...

Oi,amigo

Também sou contra os extremos.Imagine a falta de beleza do Universo se houvesse somente o preto e o branco.A gama de cores que existe na natureza é a mesma que existe para que façamos as nossas escolhas,seja em que campo for.
Muito bom texto!
abraço

Vanna disse...

Minha mãe, costumava dizer "fulano é bunda d fora ou calça d veludo" e a partir daí, eu comecei a entender q na vida o q vale é o equilíbrio, como diz a sabedoria popular, nem tanto ao céu nem tanto à terra.
Bjs, lindos dias.

Rittner M. disse...

Sim, os tecnicos diriam que entre o preto e o branco existem 256 tons de cinza. Mas também por influencia do sistema de cores digital. Tem muito mais que isso, pois há cinzas azulados e amarronzados, etc...

Mesmo com infinitas possibilidades entre zero e um, isso ainda está em uma linha. E o mundo tem 4 dimensoes pelo que observamos, e mais 7 dimensões para a teoria M que unifica as teorias das cordas, (unindo fisica quantica e classica, gravitacional com relativistica, etc)

Ou seja, infinitos valores em 11 dimensões.

Aninha disse...

Concordo com você,amigo!

Sou contra o 8 ou 80!!!Costuma ser a filosofia dos que não pensam,não refletem que o mundo é feito de diversidades..

sucesso

Cris disse...

Bom dia, Evandro. Não sou a favor de extremos mas também não me equilibro muito bem em cima de muros. Concordo que temos que tentar um meio termo ou a posição mais confortável dentro de cada situação até pra que consigamos uma afinidade maior conosco mesmos. Um beijo e bom domingo.

[ rod ] disse...

Te encontrei lá no blog do Leonardo e vim te visitar. Concordo com o que dizes e digo mais, o mundo evoluiu tanto que se perdeu...

Sim... estamos perdidos em tantas possibilidades. Buscamos o equilibrio, mas nos alienamos cada vez mais.

A sociedade esta confusa e ser um ser normal hoje em dia é um tanto difícil.

Culpa do século ou culpa do próprio ser humano?

Prefiro acreditar que de normal já basta a vida e os dias que desde o início do mundo... acorda e dorme.

Abçs meu caro,




Novo Dogma:
roMance...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Pedro disse...

Pois é, Evandro. Imagina que chato se o Dudu fosse 0 ou 1. Com certeza ele não teria abstração suficiente para associar você a uma baleia pelo simples fato dos dois serem mamíferos. Mas, cá pra nós: tá fazendo tão feio assim na balança? rs
Abraço.

Lomyne disse...

Tem uma frase que eu adoro, do filme do Cazuza: existe o certo, existe o errado e existe todo o resto...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails